terça-feira, 26 de julho de 2022

Filosofia para Crianças e Jovens e Educação Literária: o nosso destaque aLer+ 2027

Introdução à Filosofia para Crianças e Jovens e Educação Literária é a atividade em destaque das Bibliotecas Escolares António Feijó, no âmbito do projeto aLer+2027, no presente ano letivo.


Depois de encetado um ciclo de formação na área da Filosofia para Crianças e Jovens (FpCJ) e de compreender que há um ponto fulcral de convergência entre a FpCJ e a Educação Literária, o Questionamento, decidimos abrir uma nova oferta na Biblioteca Escolar: Introdução à FpCJ, tendo por base uma seleção de Literatura Infantojuvenil a que chamamos de Livros Perguntadores.


A atividade consistiu na dinamização de sessões, pela professora bibliotecária coordenadora, junto dos grupos / turmas que, no início do ano letivo, se inscreveram no projeto. As sessões tiveram por base algumas das questões filosóficas mais prementes, como o amor, o medo, a solidão, o Outro, e como auxiliar a literatura infantojuvenil, visando os seguintes objetivos:

- Experimentar percursos diversificados de desenvolvimento de pensamento crítico;

- Associar a Educação Literária à Filosofia no sentido de reforçar o trabalho em torno do questionamento;

- Conhecer as potencialidades da literatura enquanto recurso de promoção do pensamento crítico e reflexivo, tendo em vista a formação de cidadãos críticos, ativos e interventivos;

Esta atividade foi iniciada em novembro, no mês em que comemoramos o Dia Internacional da Filosofia. Sobre esse início e as primeiras impressões do projeto no terreno, falamos AQUI
Ao longo do ano, foram desenvolvidas sessões junto de 40 turmas de todos os níveis de ensino, EPE, 1º, 2º e 3º CEB, do agrupamento, abrangendo um total de cerca de 800 alunos.

Apresentamos, de seguida, o desenrolar da atividade, desde a sua preparação, passando pela exemplificação do desenrolar de uma sessão até à reflexão sobre alguns resultados preliminares.

Preparação

1.Apresentação da proposta nas reuniões de Conselho Pedagógico, departamento da EPE e 1º CEB e equipa docente BE em setembro de 2021;

2.Abertura de Inscrições (setembro 2021);

3.Calendarização das sessões;

4.As sessões, com duração aproximada de uma hora, têm lugar na Biblioteca Escolar de cada estabelecimento, com os alunos dispostos em semicírculo, acomodados em pufes ou cadeiras.

Momento de sessão de FpC com grupo da EPE

1.       Dinâmica de uma sessão no 1º CEB:

- Material: Papeis verdes e amarelos, em número igual ao de alunos; lápis; obra O Jardim de Babaï, de Mandana Sadat (2013), edição da Bruáa; impressão de Babaï (personagem da obra).

a) Vamos pensar.

Estar sozinho é bom? Porquê?

Os alunos são convidados a fechar os olhos e pensar se gostam ou não de estar sozinhos, em que momentos e porquê (uma conversa silenciosa).

b)  Vamos jogar (ao faz de conta).

“Estar sozinho é bom porque... Estar sozinho é mau porque…”

São distribuídos, a metade dos alunos, papeis amarelos, e à outra metade papeis verdes. Independentemente da opinião pessoal, os alunos com papel amarelo deverão registar um motivo pelo qual não é bom estar sozinho, enquanto os alunos com papel verde deverão registar um motivo pelo qual é bom estar sozinho. No final, é feita a partilha, concluindo-se que a mesma situação às vezes pode ser boa, e outras pode não o ser, dependendo da pessoa e/ou da circunstância.

Momento de sessão de FpC com turma de 1º ano

c) Vamos convidar Babaï para esta conversa.

O que tem o cordeirinho a dizer sobre o assunto?

É apresentado um pequeno cartão com a imagem de Babaï, a personagem principal da obra que sustenta a sessão, é explicado aos alunos quem é e de onde vem. De seguida é lida / contada a história com a recomendação prévia de tentar descobrir o que tem Babaï, o cordeirinho, a dizer sobre a questão em causa (estar sozinho). No final é levado a efeito um pequeno diálogo para sistematizar as principais ideias, à luz da questão levantada.

Momento de sessão de FpC com turma de 1º ano

d) Vamos conversar

Esta é a fase do diálogo filosófico propriamente dito. Inicialmente é colocada ao grupo a questão “Estar sozinho e sentir-se sozinho é a mesma coisa?”, sendo a resposta encontrada em grande grupo. De seguida são colocadas as três questões que se apresentam abaixo, e é dada a palavra a cada aluno para que possa partilhar a sua experiência e as suas ideias em relação a uma ou mais questões.

- Já alguma vez me senti sozinho?

- Conheço alguém que se sinta sozinho?

- O que posso fazer para me sentir melhor ou ajudar alguém a sentir-se melhor nessas circunstâncias?


           e) Vamos construir.

O meu tapete do bem-estar

Finda a partilha, é retomada a ilustração final da obra, que representa o Jardim de Babaï em jeito de tapete persa, e é feita uma analogia da história de Babaï com a história de cada um, sendo os alunos convidados a elaborarem o seu próprio tapete do bem-estar, representando, através do desenho, tudo aquilo que contribui para o bem-estar de cada um (e não o deixa sentir-se só). Esse trabalho é realizado na sala de aula, com o apoio do professor da turma, e, posteriormente, é afixado na BE, no “Cantinho da Filosofia”.

Momento da criação de tapetes do bem-estar em sala de JI

f) O que é a Filosofia?

Terminada a sessão, e depois de os alunos manifestarem a sua opinião sobre a mesma, são orientados no sentido de descobrirem o que estiveram a fazer, concluindo-se que a Filosofia é a Arte de Pensar (e Pensar é BOM).

Tapetes do bem-estar de turma de 1º ano com registo

1    Secção dos Livros Perguntadores

Foi criada uma secção específica na Biblioteca Escolar da escola sede dedicada à FpCJ, composta essencialmente por álbuns narrativos contemporâneos, indutores de questionamento: Livros Perguntadores


2.    Cantinhos da Filosofia

Em cada Biblioteca Escolar do Agrupamento foi criado o Cantinho da Filosofia, onde são afixados os trabalhos elaborados no âmbito das sessões de FpC. Alguns cantinhos da FpC podem ser vistos AQUI.

Exemplo de Cantinho da Filosofia numa BE do 1º CEB

3.     O projeto nas II Jornadas em Educação Literária da Universidade do Minho

O  O projeto Filosofia para Crianças e Jovens foi apresentado, em formato de comunicação, nas II Jornadas Internacionais em Educação Literária, Acordar a Primavera, que tiveram lugar na Universidade do Minho, nos dias 22 e 23 de abril de 2021, integrando a mesa-redonda Leitura, Educação e Mediação.


Reflexão sobre os resultados

Uma avaliação preliminar do projeto permitiu apresentar como principais resultados:

- As sessões de FpCJ registam elevada procura em todos os níveis de ensino por parte dos professores (as ofertas esgotam sempre).

- Alunos partilham vivências / problemas que não eram do conhecimento dos seus professores.

- Professores referem a calma e o clima de bem-estar que se segue às sessões de FpC, assim como maior facilidade de participação dos alunos nas aulas.

- Professores manifestam surpresa pela participação de alguns alunos nas sessões.

- Professores referem necessidade de fazer sessões com maior regularidade.

- Quanto mais velhos os alunos, mais “ricas” são as partilhas e as conversas.

- Alguns professores dão continuidade ao trabalho em torno da obra utilizada.

- Alguns alunos requisitam o livro utilizado ou livros da mesma temática.

Mais informação sobre o projeto pode ser encontrada neste vídeo:




Este é, sem dúvida, um projeto que vamos continuar a acarinhar.

Momento final de sessão de FpC com grupo da EPE


Até já!

sexta-feira, 15 de julho de 2022

Histórias d'Ajudaris: janelas para outros mundos

Este é um daqueles projetos que veio para ficar, pois o que é bom permanece. Desde 2013 que as Histórias d'Ajudaris integram o nosso Plano de Atividades, cruzando-se com os diferentes temas que vão guiando a nossa prática letiva / educativa, o que se revela muito fácil, pois não há nada mais transversal do que a solidariedade, a leitura e a escrita: os ingredientes destas histórias.


No ano que agora finda, os nossos alunos viram, uma vez mais, publicados os seus textos num belo livrinho: as Histórias d'Ajudaris 21, que tiveram como mote "Se eu fosse", e que permitiram trabalhar aquele que era o tema em desenvolvimento nessa data: O homem e a natureza em busca do equilíbrio.

Texto EB Feitosa


Um conjunto de quatro textos bem diferentes entre si, onde é possível verificar o poder da criatividade. 
Enquanto os meninos da EB da Feitosa se debruçaram sobre questões decorrentes dos direitos da criança, concretamente sobre o trabalho infantil (recorde-se que em 2021 comemorávamos o ano internacional para a eliminação do trabalho infantil) (imagem acima), os meninos da EB de Ponte de Lima brincavam com os animais, aplicando conhecimento sobre a diversidade da fauna (imagem abaixo).

Texto EB Ponte de Lima

Sob o mote "Se eu fosse", os meninos da EB da Ribeira sonharam com profissões, flores e fadas (imagem abaixo), enquanto os meninos da EB da Gandra elaboraram um original roteiro de viagem, com paragem em 23 países, proporcionando ao leitor uma original e deliciosa volta ao mundo (imagem abaixo).

Texto EB Ribeira

Quando os livros chegam às escolas, uma das maiores curiosidades é descobrir como é que o texto foi ilustrado, pois a ilustração é já uma primeira interpretação e leitura do texto. E os alunos não costumam ficar desiludidos. 
Nesta edição, destacamos a nota de humor presente na ilustração de Vicente Sardinha, que podemos ver na imagem abaixo, muito apreciada pelos autores de Crianças do Mundo (a partir de Portugal, segundo o ilustrador).

Texto EB Gandra

O acolhimento que este projeto tem junto da comunidade educativa reflete-se não apenas na continuidade do projeto, ano após ano, como também no número significativo de vendas do livro junto da comunidade. No presente ano conseguimos apurar 1 095,00 euros, donativo que reverte inteiramente para apoio aos projetos d'Ajudaris relacionados com a luta contra a pobreza e exclusão social.

Certificado Ajudaris


Em 2022, o desafio foi escrever sobre a Água, um tema emergente com forte eco na Agenda 2030 e no nosso novo Projeto Educativo, cujo 1º eixo é, precisamente, a Consciência Planetária.

O agrupamento voltou a dizer PRESENTE, tendo sido elaborados mais cinco textos inéditos, que esperamos ver publicados na edição Histórias d'Ajudaris 22: Abecedário da Água (EB de Gandra), Nuvem dá-me água (EB Ponte de Lima), Água, um amor fresco (EB da Ribeira), Um mundo melhor (EB da Feitosa) e Água (EB de Trovela), mais um conjunto bem diversificado, onde marca presença a poesia, a narrativa e o abecedário literário.

Contracapa do volume que contém as nossas histórias 2021,
com mensagem da presidente,
Dra. Rosa Mendes Vilas-Boas

Mais informações sobre os projetos d'Ajudaris podem ser consultadas em ajudaris.org

Sobre a participação do agrupamento em edições anteriores das histórias d'Ajudaris:


sábado, 9 de julho de 2022

Roteiro Literário Eça de Queirós encerrará as atividades da BE 2021/2022

A Biblioteca Escolar António Feijó, em parceria com a editora Opera Omnia, leva a efeito o Roteiro Literário Eça de Queirós, o último momento de formação docente em contexto deste ano letivo.


Com esta atividade encerramos o tema aglutinador de projetos Janelas para o Mundo, espreitando, à boleia da Prof. Ana Margarida Luciano, alguns segredos da vida e obra do autor de A Cidade e as Serras, ao mesmo tempo que entreabrimos a janela do tema do próximo ano letivo, (Des)cobrindo as Raízes


Depois de dois anos de ação limitada, no que ao exterior diz respeito, a iniciativa está a ser muito bem acolhida pelos docentes de António Feijó!

Para aqueles que quiserem ir "aguçando o apetite", poderão espreitar a Fundação Eça de Queirós - Casa de Tormes, AQUIou embarcar na belíssima visita guiada apresentada pela RTP play: AQUI
 
Encontramo-nos na próxima terça feira!
Até já!

terça-feira, 14 de junho de 2022

Ecos do Mês do Livro | Centenário de Saramago

As comemorações em torno do Centenário de Nascimento de José Saramago foram o tema central da nossa Semana da Leitura, integrada no Mês do Livro.

Conhecer o autor e a obra do nobel português da literatura era o nosso desafio.

Pormenores de algumas exposições

Começamos pela formação docente em contexto, com a ACD Navegar na Palavra e Ancorar no Silêncio: À Descoberta de Saramago, e daí partimos para o terreno. Um terreno que começou bem cedo a ser preparado... tendo mostrado os seus frutos na Semana da Leitura, e partilhado a colheita na Mesa de Partilha de Boas Práticas que integrou as IV Jornadas António Feijó.

Momento da Mesa de Partilha de Boas Práticas,
 integrada na componente formativa das IV Jornadas António Feijó:
 Patrícia Alves, Cristina Araújo e Mónica Barros apresentam a comunicação
 "Será possível dar a conhecer José Saramago a alunos do 1º CEB?


O trabalho desenvolvido teve por base, essencialmente, os domínios da Educação Literária, da Leitura e da Escrita, e envolveu competências no âmbito das diferentes literacias.
No 1º CEB, do 1º ao 4º ano, o trabalho desenvolveu-se a partir de uma seleção de excertos da obra As Pequenas Memórias, do conjunto da obra de José Saramago e dos álbuns A Maior flor do mundo, o único texto que Saramago escreveu para crianças, O Silêncio da Água e Lagarto, álbuns elaborados a partir de excertos das obras As Pequenas Memórias e A Bagagem do Viajante, respetivamente.


Trabalho realizado por alunos de 1º ano, a partir da obra As Pequenas Memórias:
 "A escola de Zezito Saramago"

Enquanto os alunos mais novos encetavam uma viagem pela infância de Saramago, com paragens em casa dos avós Jerónimo e Josefa, na escola primária (exemplo acima) e nas paisagens que povoavam as margens do Almonda, os alunos mais velhos descobriam curiosidades do autor (e do homem), e envolviam-se na descoberta da sua obra, tornando-se, também eles, criadores. Nas imagens abaixo podemos ver dois exemplos de trabalhos realizados com base em alguns dos títulos mais conhecidos do nobel português da literatura.

Trabalho realizado por alunos do 3º ano: "da capa ao miolo":
os alunos foram convidados, a partir de diferentes títulos de Saramago,
a elaborar a capa e e uma possível narrativa.

Trabalho realizado por alunos do 3º ano: "da capa ao miolo":
produto final.


Trabalho realizado por alunos de 4º ano,
criação de uma narrativa integrando os vários títulos de Saramago fornecidos

Ao nível da escrita, foram ainda realizadas sinopses improváveis, abecedários saramaguianos e acrósticos, que, ao longo da semana da leitura, juntamente com interessantes painéis "Sabias que?", com múltiplas curiosidades sobre o autor, desafios transformados em descobertas, e outros inusitados achados, como Saramagos na cozinha ou a Flor da Liberdade, transformaram algumas das nossas escolas em verdadeiros mananciais de saber, abertos à comunidade.

Pormenores de exposição:
desafios e recriações em torno de O Silêncio da Água

Mas não foi tudo! Saramago foi ainda alvo de tertúlias entre turmas, que partilharam entre si as descobertas sobre o autor, o homem e a obra, e de sessões de leitura à volta das obras destinadas ao público infantil: as três edições de A Maior Flor do Mundo, O Silêncio da Água e Lagarto, momentos desencadeadores de um interessante diálogo sobra ilustração, quer ao nível das diferentes técnicas, cores e traço, quer sobre o papel desta componente do livro. Destas sessões nasceram ainda alguns trabalhos bem originais que tiveram por base a ilustração "ao jeito de...", que podemos ver nos exemplos abaixo.

Momento de uma das sessões realizada com turmas de 1º CEB


Exemplo de trabalhos realizados a partir da sugestão "ilustrar ao jeito de"


Exemplos de trabalhos realizados a partir da sugestão "ilustrar ao jeito de":
é possível perceber a diversidade de técnicas utilizadas
(colagem, pintura, desenho...)

Na escola sede acolhemos a exposição Saramago, o Nobel da Literatura, cedida pelo município, e integramos nas nossas ofertas de Biblioteca à la Carte a oficina de escrita Em busca do silêncio da água: através de um conjunto de experiências de escuta, leitura e escrita (criadora), os alunos puderam mergulhar na vida e obra de Saramago (falamos de uma dessas oficinas AQUI), o homem-rio.

Pormenores da exposição na escola sede.

A inesgotabilidade de possibilidades oferecidas pela literatura ficou, uma vez mais, bem patente, na multiplicidade de trabalhos realizados nos diferentes níveis de ensino. Uma experiência que, nas palavras dos docentes envolvidos, se revelou uma agradável surpresa, tendo proporcionado aulas de grande envolvimento, descoberta, partilha de saberes e (autêntica) construção de conhecimento.

Parece-nos, pois, que celebrar centenários poderá ser um possível "segredo" para nos deixarmos seduzir pelas maravilhas da literatura e para ousarmos experimentar algumas metodologias ativas no domínio da educação literária.

P.S. Quem não se recorda  da Semana da Leitura 2021, Ler com os olhos do Coração, dedicada ao centenário de Matilde Rosa Araújo? Revisitem AQUI.

Ecos do Mês do Livro | Visita de Autores

Tal como anunciamos AQUI, no presente ano integramos a Semana da Leitura num contexto mais alargado de atividades e comemorações em  torno do livro, o Mês do Livro, um mês que extravasou as fronteiras do calendário (e também das expectativas). Foram quase sessenta dias marcados por atividades ligadas ao livro e à leitura, que envolveram alunos, docentes e comunidade em geral.

Com o ano letivo a caminhar para o fim, vai sendo tempo de balanços. Organizando por atividades, iremos dando conta do modo como as várias escolas do agrupamento viveram este(s) mês(es).

Momentos das visitas de autor nas diferentes escolas

Este foi o ano do regresso aos encontros de autor (e que saudades tínhamos!). Por cá passaram Pedro Seromenho, escritor e ilustrador, que visitou a EB da Ribeira, Raquel Ramos (escritora) e Sebastião Peixoto (ilustrador) que visitaram as Escolas da Feitosa, de Ponte de Lima e a EB António Feijó.

A estreia coube a Pedro Seromenho que deixou extasiados os alunos do 1º CEB da EB da Ribeira. É que por detrás deste autor e ilustrador esconde-se um brilhante CONTADOR, como demos conta AQUI.. O trabalho versou sobre a obra do autor, de um modo geral, e despoletou curiosas questões, suscitadas quer pelo inusitado de alguns dos seus títulos, quer pelas próprias opções ao nível da ilustração: uma sessão muito rica (e reveladora).

O professor Rui Carvalho, que acompanhou a atividade, compilou no pequeno vídeo abaixo alguns dos principais momentos da sessão.


Já a visita de Raquel Ramos e Sebastião Peixoto teve por base o trabalho em torno de um discurso específico: a biografia. José Rodrigues, Eça de Queirós, Nadir Afonso e Gualdim Pais foram as personalidades protagonistas dos livros que selecionamos para esta abordagem, que visava o aguçar do olhar sobre o livro enquanto janela para outras áreas do saber: a história, a literatura e a arte, nomeadamente a pintura e a escultura. 

Momentos da visita de Raquel Ramos e Sebastião Peixoto

O trabalho envolveu alunos de 3º, 4º e 5º anos, no estudo das obras Nadir Afonso, o pintor de cidades geométricas (escrito por Raquel Ramos) e D. Gualdim Pais, o cruzado de Portugal, ilustrado por Sebastião Peixoto, e alunos de 9º ano, no estudo das obras José Rodrigues, o artista desassossegado, escrito por Raquel Ramos, e Eça de Queirós, sou um pobre homem da Póvoa do Varzim, ilustrado por Sebastião Peixoto.

À luz das abordagens ativas no âmbito da Educação Literária, o trabalho à volta das obras protagonizadas por Nadir Afonso e Gualdim Pais permitiu um interessante cruzamento de texto e ilustração e um profícuo diálogo entre saberes e diferentes formas de representação. O desafio era o seguinte: 

Partindo dos títulos dos capítulos das duas obras (baralhados), os alunos, em grupo, eram convidados a distribuí-los por duas "gavetas", à luz de um critério que fizesse sentido para o grupo e que seria depois discutido. Seguidamente, deveriam elaborar uma breve narrativa com base nos títulos de uma das gavetas. Esta atividade de Escrita Criadora, localizada na fase Antes da Leitura, revelou-se muito proveitosa, não só no que à motivação para conhecer os textos diz respeito, como também ao nível da realização de inferências, na mobilização de saberes enciclopédicos e no desenvolvimento de estratégias de escrita.

Exemplos de trabalhos "Antes da Leitura"
complementados com ilustrações "ao jeito de"

Depois da leitura das obras e de uma breve pesquisa sobre as personalidades biografadas  e sobre os autores dos livros, os alunos experimentaram "ilustrar ao jeito de", representando, com a técnica de Nadir Afonso, por exemplo alguns episódios históricos referidos na biografia de Gualdim Pais, tendo também experimentado ilustrar "ao jeito de Sebastião Peixoto". 
O envolvimento conseguido em torno do estudo deste discurso literário foi ainda motor para a elaboração de questões muito pertinentes que os alunos colocaram aos autores aquando da visita: um excelente contributo para que a otimização da vinda dos autores à escola!

Sebastião Peixoto ilustrando "ao vivo" durante as sessões

Um dos momentos altos nas diferentes sessões foi, sem dúvida, "a magia" das ilustrações de Sebastião Peixoto, que além de falar do processo de ilustração, das técnicas, dos diálogos entre texto e imagem, pôs em prática, "ao vivo e a cores", a sua arte, presenteando todos os alunos, não apenas com um belo produto, mas também com o processo criativo.

Momentos da visita de Raquel Ramos e Sebastião Peixoto

A curiosidade foi, claramente, o elemento chave desta jornada, quer no que respeita à preparação da atividade (estudo da obra), quer na conversa com os autores. 
A iniciativa foi complementada com mostras literárias de autor e editora, nas diferentes escolas, oferecendo a alunos (e famílias) a possibilidade de enriquecer as suas bibliotecas pessoais, assim como a sua enciclopédia literária.
Deste preenchido dia também fomos dando conta na nossa página de Facebook, onde, num registo mais momentâneo, foi possível ir captando a essência de cada momento: AQUI. Um dia que será, certamente, responsável, pela criação de boas memórias associadas ao livro e à leitura.

quinta-feira, 26 de maio de 2022

IV Jornadas António Feijó

Esta iniciativa, que o agrupamento viu nascer em 2018, vai já na sua quarta edição! E, à semelhança das últimas edições, integra também as comemorações do Dia do Patrono.



É já nos próximos dias 1, 2 e 3 de junho. Um recheado programa compõe estes (intensos) dias: aula aberta, exposição internacional, formação docente, teatro, lançamento de livro e sarau cultural são apenas alguns dos principais destaques.



Confiram o programa. Inscrevam-se na componente formativa e participem!! Este é o momento de reunir a grande família António Feijó.





Para recordar um pouco das edições anteriores das Jornadas António Feijó:

III Jornadas António Feijó: AQUI, AQUI e AQUI.

II Jornadas António Feijó: AQUIAQUI e AQUI.

I Jornadas António Feijó: AQUI.

Para conferir as nossas ofertas de Formação Docente em Contexto a a partir da Biblioteca Escolar:

Formação Docente em Contexto

quarta-feira, 16 de março de 2022

Workshop Livro-Objeto com Diana Martins

O nosso programa oficial do mês do livro arranca já amanhã, com duas ações: a manhã inicia-se com o workshop Livro-Objeto, com a Doutora Diana Martins, na EB de Gandra, no âmbito da Candidatura (Re)ler com a Biblioteca, e a tarde finaliza com a Ação de Formação para Docentes Navegar na Palavra e Ancorar no Silêncio: À descoberta de Saramago, no âmbito da Formação Docente em Contexto, uma ação aLer+2027.



Diana Martins é designer, ilustradora, professora e investigadora. E é autora da primeira tese de doutoramento sobre Livro-Brinquedo (O lugar do livro-brinquedo na infância e na literatura: arquitetura, (inter) texturas e outros desafios). Participa assiduamente e ativamente em congressos e seminários em Portugal e no estrangeiro, divulgando os resultados na sua investigação na área.



O workshop A materialidade como elemento narrativo - oficina sobre as potencialidades do livro-objeto integra-se no conjunto de ações que compõem o projeto Dos livros para o Mundo: percursos de leitura e de escrita criadora, em desenvolvimento na EB de Gandra, junto das turmas de 2º e 3º ano, no âmbito da candidatura (Re)ler com a Biblioteca, uma iniciativa que tem por objetivo auxiliar na recuperação das aprendizagens.

Daremos notícias sobre o assunto!

sábado, 5 de março de 2022

Mês do Livro | Semana da Leitura

Estamos a preparar a época mais festiva do ano, e...

porque uma semana é pouco (e um mês não chega), o nosso programa ultrapassa estas margens temporais.

Começamos a meados de março, com Formação Docente, vivemos intensamente abril, com atividades destinadas sobretudo aos alunos, e terminamos em maio, por altura do dia internacional dos museus, que ligará perfeitamente com a exploração de quatro biografias, que são (também) janelas para a arte e para o mundo. 

(Os principais destaques podem ser conhecidos no vídeo abaixo)

O coração destas comemorações é a semana da leitura, que acontecerá de 26 a 29 de abril, e que terá por base a comemoração do centenário de José Saramago.

Queremos envolver toda a comunidade nesta festa do livro e da leitura. Partilhamos, abaixo, o programa.


Vamos dando notícias...

Até já!

sexta-feira, 4 de março de 2022

Concurso Nacional de Leitura: estamos na fase intermunicipal!

Teve lugar na passada quinta-feira, 3 de março, na Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, a fase concelhia do Concurso Nacional de Leitura.

Foi um momento intenso, que conheceu o seu ponto alto durante a prova oral. Foi muito interessante descobrir as escolhas dos alunos: os excertos que selecionaram para ler ao júri, e ao público presente, foram muito reveladores, e os argumentos que apresentaram constituem verdadeiros desafios para todos os educadores.


Créditos imagem: Biblioteca Municipal de Ponte de Lima

Pudemos perceber o quanto a literatura "faz bem"! Foram muitos os alunos que referiram ter selecionado determinado excerto pela identificação (e consequente empatia) que sentiram em relação à personagem e à situação por ela vivida. Foram também muitos os alunos que levantaram questões sociais prementes a partir dos excertos selecionados.

Os livros revelaram o seu poder, ora tranquilizador, ora de desassossego e inquietação. Os livros mostraram (uma vez mais) o quão necessários são para uma pedagogia humanizadora.

(Poderão conhecer as obras que estiveram na base desta prova, AQUI).

Obras a ler para a fase intermunicipal

Damos pois os Parabéns a todos os alunos! Proporcionaram-nos momentos de reflexão intensa, e forneceram-nos pistas importantes sobre o caminho a seguir nesta missão que é EDUCAR.

Às nossa Letícias (Letícia Santos Laranjo, do 4º ano, da EB da Feitosa, e Letícia da Cunha Martins. do 9º C), que irão representar o agrupamento de escolas António Feijó, na fase intermunicipal, um especial bem-haja!

Até já!

terça-feira, 1 de março de 2022

Março é (também) o mês da Felicidade: novas ofertas Biblioteca à la Carte

Sem termos ainda saído do contexto pandémico, que em todos deixou marcas, sem termos ainda refletido sobre as possíveis "lições de uma pandemia", desde o dia 24 de fevereiro que assistimos, em direto, a um constante atentado aos direitos humanos mais elementares... 

Faz sentido falar de Felicidade?  

O que é a Felicidade?

Desde 2013 que a 20 de março se celebra o Dia Internacional da Felicidade. Inspirada no Reino do Butão, que antes de fazer contas ao PIB, atende ao Índice de Felicidade Nacional Bruta (FNB), esta comemoração encontra forte eco nos princípios da Agenda 2030, documento que norteia o nosso Projeto Educativo, nomeadamente nos ODS que mais diretamente se relacionam com o Bem-Estar. 

Entendemos, pois, que sim. Que faz sentido falar de felicidade. Que refletir sobre a felicidade é acordar o lado humano, que facilmente se deixa entorpecer, em cada um de nós.

Créditos imagem: 
https://unric.org/pt/mundo-celebra-dia-internacional-da-felicidade-neste-20-de-marco/

Aproveitando a efeméride, preparamos no âmbito da introdução à Filosofia para Crianças e Jovens, uma nova oferta Biblioteca à la Carte, que integrará a agenda de março: O que é a felicidade? 

Esta oferta terá a particularidade de ser desenvolvida em duas línguas, português e francês, associando-se, deste modo, a Biblioteca Escolar à festa da francofonia, que acontece também ao longo do mês de março; e contará com a participação de um grupo de alunos do 8º D, turma que, ao longo do trimestre, tem vindo a refletir sobre a questão C'est quoi le bonheur?.

Sobre a temática da felicidade, dispomos na nossa página Educação Literária na Família, de uma vasta seleção de obras, que pode ser consultada AQUI.

Até já!